NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA

[7]

5 problemas mecânicos mais comuns e como evitá-los

Por Julio Benck


Quem nunca precisou um dia recorrer a um apoio mecânico profissional, que atire a primeira pedra. Nem que seja para fazer a revisão programada, os problemas mecânicos mais comuns podem dar o ar de sua graça, afinal, acidentes também causam falhas nos veículos.

O ideal é cuidar da manutenção do carro de forma preventiva, ou seja, com o objetivo permanente de evitar danos mais sérios. Desta forma, certamente serão poupados tempo e dinheiro, evitando longas estadias do veículo em oficinas mecânicas e os custos decorrentes dos serviços.
5 problemas mecânicos mais comuns

Conheça os problemas mecânicos que são a maior causa de dor de cabeça para motoristas de todas as idades.
Pneus

Existe uma brincadeira entre motoristas que diz que a peça mais problemática de um carro fica entre o banco do motorista e o volante. Mas se tem um conjunto de componentes que realmente fica exposto o tempo todo são os pneus.

Como são afetados com mais severidade pelo atrito constante com o solo e por eventuais vícios de direção que aceleram seu desgaste, os pneus são geralmente os primeiros a apresentar problemas.

Verificar o Tread Wear Indicator (TWI) e se a profundidade dos sulcos não está no seu limite garante uma rodagem segura. Mas não é apenas nos sulcos que os pneus podem apresentar defeitos. Inspecionar suas laterais e a parte que fica voltada para dentro também é importante, já que nessas regiões podem aparecer defeitos como rasgos e bolhas. Se isso acontecer, o pneu deve ser trocado imediatamente.
Motor

Não é exagero dizer que o motor é o coração do carro. Nele se concentram os principais componentes responsáveis pelo funcionamento do veículo, por isso é necessária atenção às revisões para que os problemas mecânicos mais comuns sejam evitados.

Ruídos no motor podem indicar problemas cuja origem pode ser identificada até pelo tipo de barulho. Pistões, velas e bombas d’água podem gerar ruídos se estiverem com defeito. Procure reparar se algum barulho estranho surgiu de repente e, se necessário, leve o carro para uma oficina para uma inspeção completa.

Além dos ruídos, outros sintomas de que o motor não vai bem são falhas ao acelerar, engasgos e dificuldade em dar a partida. Entre as causas possíveis está o combustível de má procedência, que quando utilizado por muito tempo pode causar danos gravíssimos e até mesmo levar a uma retífica completa do motor.



Óleo

O óleo do motor, por exemplo, deve ser inspecionado constantemente, para isso, deve-se retirar a vareta para medir óleo do cárter pela manhã, quando o fluido está assentado e é possível verificar seu nível real. Se o óleo estiver entre as ranhuras que indicam nível mínimo e máximo, está tudo ok.

Caso o nível esteja abaixo do indicado, você deverá repor o óleo, sempre observando as especificações e o tipo adequado (mineral, sintético ou semissintético). É normal que a cada mil quilômetros o nível do óleo abaixe um pouco, portanto, fique ligado e complete se necessário. Entre os problemas mecânicos mais comuns, boa parte deles está ligado ao óleo fora da validade ou abaixo do nível.

A cor esperada para um óleo que esteja cumprindo suas funções deve ser escura, que indica que ele está de fato retendo as impurezas. A viscosidade também deve ser observada, pois óleo muito grosso ou muito fino pode indicar perda de propriedades, ou que o fluido já passou da validade, devendo ser trocado.

Em condições normais, o óleo do motor precisa ser trocado a cada 10 mil quilômetros rodados, mas esse prazo varia em função de outros fatores e de acordo com as recomendações do fabricante.
Suspensão e amortecedores

A suspensão e o amortecimento são fundamentais para garantir conforto e segurança na hora de dirigir. Num país em que a malha rodoviária é precariamente pavimentada como o Brasil, seja na cidade ou no campo, o asfalto em más condições torna-se um potencializador de problemas na suspensão.

Quando danificados, os amortecedores que compõem a suspensão geram ruídos facilmente identificáveis, como peças metálicas batendo ou o temido “nhec nhec”. Quando avariados, também podem gerar trepidação ao dirigir, um dos problemas mecânicos mais comuns em regiões sem pavimentação.

Normalmente, o amortecedor dura 30 mil quilômetros, mas essa recomendação varia de um fabricante para o outro. De qualquer forma, quando esgotam sua vida útil ou são danificados, o ideal é providenciar sua substituição.
5 problemas mecânicos mais comuns e como evitá-los 5 problemas mecânicos mais comuns e como evitá-los Reviewed by Via Certa Natal Trânsito on julho 21, 2017 Rating: 5

Sora Templates