NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA

[7]

Veículos sem uso por longo tempo também sofrem desgastes



Se, por qualquer motivo, seu veículo tiver de ficar muito tempo sem uso e estacionado em garagem, saiba que isso poderá acarretar uma série de problemas se os cuidados adequados para sua manutenção não tiverem sido tomados. O simples fato de não estar em uso não significa que estará protegido; ao contrário, indica que ele poderá sofrer alguns danos se, simplesmente, as precauções não estiverem sendo tomadas.

O OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária dá algumas dicas de como conservá-lo, se for este o caso de seu veículo. A primeira delas se refere ao tanque de combustível e ao reservatório, no caso de veículos flex. Escapamento, bateria, ar condicionado, pneus e até mesmo o motor podem sofrer as consequências da falta de utilização. Confira abaixo:
Pneus

Fabricados com borracha e com uma cinta de metal interna (que dá a resistência ao pneu e o mantém com a dimensão correta), pneus de veículos parados por longo tempo costumam murchar, o que deforma a cinta metálica. Para evitar que isso ocorra é indispensável manter os pneus sempre cheios. E quando for utilizar o veículo é aconselhável calibrar os pneus.
Bateria

Se o veículo for ficar sem um uso por tempo estendido, desconecte a bateria, desligando-a. Isso por que itens como ar condicionado, alarme, rastreadores, aparelhos de som, entre outros, são responsáveis por consumo constante de energia mesmo com o veículo parado.
Tanque de combustível

As características químicas da gasolina, por exemplo, têm tempo útil para permanecerem inalteradas e sem perda da qualidade. Se permanecer no tanque por aproximadamente mais de um mês, começa a criar impurezas que sujam e entopem o filtro de combustível; isso pode danificar a boia de combustível e os bicos injetores do motor. Portanto, se o veículo ficar parado por muito tempo, o ideal é esvaziar o tanque, ou abastecer com gasolina aditivada, que possui maior durabilidade.
Motor

Assim como a gasolina, o óleo do motor também tem prazo de validade e, no caso de ficar muito tempo parado, pode acabar ‘coalhando’ e perdendo suas características de lubrificação. Para evitar que isso ocorra, é aconselhável ligar o veículo por 20 minutos pelo menos uma vez por semana. Trocar o óleo, mesmo que a quilometragem não tenha sido vencida é também um caminho para proteção do motor, uma vez que, em geral, a validade do óleo varia entre 4 e 5 meses.
Reservatório (veículos flex)

Se morar em localidade com temperatura média acima de 18º, o aconselhável é que abasteça o reservatório (tanquinho) até a metade de gasolina. Se, ao contrário, a temperatura for inferior a 18º encha o reservatório, porque essa gasolina só será requisitada quando a temperatura estiver abaixo de 18, não exagere na quantidade, porque se ela ficar ali mais de uma semana parada pode acabar apodrecendo e sujando os bicos injetores.
Ar–condicionado

Cabe ao ar condicionado a tarefa de resfriar o ambiente. Só que para cumpri-la ele acaba provocando umidade nos dutos de ventilação interna do veículo. E ela é apropriada para a proliferação de fungos, bactérias entre outros, que podem causar problemas respiratórios nas pessoas. Se o veículo ficar parado por longo tempo, troque o filtro porque se não, o interior do veículo pode ficar com mau cheiro
Escapamento

A água é um dos componentes do álcool, combustível que é também misturado à gasolina. Sendo assim, é um elemento presente nos dois combustíveis. Se você anda pouco com o carro, ela acaba se depositando no sistema de escape e, por consequência, causa danos: por exemplo, o abafador, que poderá sofrer corrosão que provocará um buraco no sistema de escapamento. Silencioso e catalisador podem também sofrer avarias.

As informações são do Observatório Nacional de Segurança Viária
Veículos sem uso por longo tempo também sofrem desgastes Veículos sem uso por longo tempo também sofrem desgastes Reviewed by Via Certa Natal Trânsito on dezembro 05, 2016 Rating: 5

Sora Templates