DPRE: Sem bafômetros e talões de multa patrulheiros ainda pagam por revisão de viaturas

A polícia Rodoviária Estadual do Rio Grande do Norte vem passando por uma série crise administrativa. Falta  material de trabalho e todo tipo de infraestrutura para execução de trabalho dos patrulheiros rodoviários.

Sem talões de multa

O Via Certa Natal em outra ocasião, neste mesmo ano, denunciou a falta de talões para as notificações de ocorrências de trânsito em nosso estado. Agora os policiais do DPRE, ( Polícia Rodoviária Estadual), denunciam que os talonários ficam em poder do oficial de dia e apenas infrações consideradas graves são atendidas. 

O sistema funciona da seguinte forma; o policial identifica uma ocorrência considerada por ele grave, solicita a presença do oficial de dia ao local para que seja efetuada a notificação. As infrações médias e baixas não estão sendo notificadas, o que na visão dos policiais é um incentivo ao desrespeito das leis de trânsito e uma desmoralização ao grupamento rodoviário.

Sem bafômetros 

Também neste ano mostramos por diversas vezes o fato em que os bafômetros do DPRE não estavam funcionando, muitos quebrados ou sem aferição.

O problema permanece inalterado e para realizar o teste de bafômetro em um motorista suspeito de embriaguez ao volante, somente em casos de acidentes e também igual ao caso dos talonários com a presença do oficial de dia.

Cota de combustível e revisão de viaturas pagas pelos policiais 

Os patrulheiros denunciam ainda que quando suas viaturas ficam com pouco combustível eles seguem para o posto credenciado para o abastecimento. Chegando lá se a viatura estiver fora do horário estipulado pelo governo é preciso esperar fechar o ciclo.

 Viaturas com os policiais muitas vezes ficam à espera da autorização e com isso fora de operação por até três horas.

Existe também o fato de que os próprios policiais rodoviários terem que custear do próprio bolso a revisão das motocicletas para que elas não venham a perder a garantia de fábrica, de acordo com denúncia realizada ao VCN.

Todos os denunciantes pediram sigilo de identidade a respeito das denúncias elencadas acima.
Google +