Você leu o manual do seu carro?

Por Dirceu Delamuta

Se a resposta para a pergunta do título for negativa, existe um sério risco em diminuir a vida útil de diversos componentes do seu automóvel, ou dele inteiro. Entretanto, você não é o único a deixar o pequeno livreto de lado. A grande maioria dos brasileiros não tem o costume de ler o manual do carro e por isso acaba deixando passar pequenos detalhes que prejudicam a manutenção e aumentam os riscos de quebras e acidentes.

A verificação de itens como troca de óleo, higienização do ar condicionado, análise dos sistemas de arrefecimento e freios, alinhamento e balanceamento de pneus podem parecer rotineiros para um condutor, mas podem representar um perigo caso não sejam feitos de acordo com o manual do fabricante. Quando um automóvel é projetado, ele recebe peças específicas para entregar desempenho, economia e durabilidade. Se o proprietário, durante o uso do veículo, não segue as dicas do manual, ele está não só prejudicando o seu carro, mas também o seu bolso.

Vamos exemplificar os pneus. O público tem a ideia de que apenas manter os pneus calibrados os mesmos já estão bem cuidados. Mas será que somente isso é necessário para garantir segurança e desempenho?

O pneu é um (se não o) dos principais itens de rodagem de um carro. Se o conjunto está desgastado, não há EBD, ABS ou ESP que seja eficiente em situações de emergência. Economia de combustível então, praticamente inexistente. Por isso, entender as siglas e números descritos no próprio pneu e nos textos do manual do veículo é fundamental para uma dirigibilidade segura. O índice TWI, que mede o desgaste do pneu, é um simples sinal no material que indica o momento certo para a troca do item, mas é ignorado por muitos motoristas que não entendem a função do indicador ou sequer sabem da sua existência.

No manual do veículo, os cuidados com os pneus vão além do indicador TWI. O conteúdo explica os ângulos corretos de alinhamento e balanceamento, a pressão da calibragem, o modelo e medidas ideais para que o carro tenha uma boa performance. Claro que há termos técnicos complicados para um leitor comum, todavia, os centros automotivos especializados em serviços treinam seus profissionais para seguirem o passo a passo da fabricante, e que podem ajudar em casos de dúvidas.Pesquisas apontam que 25% dos motoristas circulam com pressão dos pneus abaixo do recomendado pelo fabricante. Estudos indicam que 0,2 bar (aprox. 3 libras) abaixo da pressão recomendada pelo fabricante reduz em até 10% a vida útil do pneu. Se a pressão ficar 0,4 bar (aprox.5,8 libras) abaixo do recomendado, a vida útil do pneu pode cair até 25%. Rodar com 0.4 bares (aprox. 5,8 libras) abaixo da pressão recomendada aumenta em 2% o consumo de combustível.

Por isso, da próxima vez que questionarem se você leu o manual do seu carro, tente responder positivamente. Além de ser uma leitura agradável, você passa a conhecer mais seu veículo e aprende a cuidar mais dele, garantindo maior vida útil e economizando com manutenções surpresas.
Google +