Quando o condutor não está apto a dirigir

Por redação Via Certa Natal


Alterações no estado físico e mental do condutor afetam diretamente a capacidade de dirigir com segurança. Os principais fatores adversos que devem ser observados são: deficiência visual, motora ou auditiva. Uso de álcool, drogas ou medicamentos que alteram a percepção. Cansaço, sono e fadiga. Estados psicológicos alterados e fatores comportamentais de risco, como por exemplo: pressa, distração, agressividade, irritação, espírito competitivo, etc. Estresse: o indivíduo estressado apresenta reações inadequadas diante de situações de perigo ou tensão.

Algumas deficiências físicas não impedem o indivíduo de dirigir, mas o ato de dirigir é condicionado ao uso dos acessórios obrigatórios, como próteses corretivas, lentes ou adaptações no veículo.

Com a utilização de equipamentos é possível neutralizar certas deficiências físicas e dirigir normalmente É importante que o condutor procure treinamento qualificado, em instituições que possuam veículos especialmente equipados para essa finalidade.

A capacidade intelectual do ser humano atualmente está classificada em oito inteligências: a da comunicação, a do raciocínio lógico, a da noção de espaço, a da coordenação motora, a do autoconhecimento e compreensão, a de se relacionar, a de se situar no meio ambiente e a da distinção e interpretação dos sons. Para cada tarefa que realizamos utilizamos várias dessas inteligências. A habilidade de dirigir ou pilotar exige do motorista a utilização de todas.

O cérebro comanda tudo. Ao aprender a dirigir corretamente estamos automatizando processos e reações. Quem aprende certo automatiza certo, quem aprende errado, automatiza errado. É por isso que é tão difícil corrigir maus hábitos de quem aprendeu de forma incorreta.

Estados psicológicos e emocionais alterados podem afetar a capacidade de dirigir ou pilotar com segurança.

As alterações mentais podem ser psíquicas ou psicológicas e emocionais. As psíquicas são doenças como, epilepsia, neuroses, psicoses, etc. Dependendo do grau de manifestação, portadores dessas doenças estarão impedidos de dirigir.

Já as psicológicas e emocionais são aquelas como estresse, depressão, irritação, raiva, insegurança ou alterações devido a comoções, fatalidades, mortes, traumas e etc.

Além disso, o homem interfere artificialmente nessas condições ao utilizar substâncias químicas que alteram o funcionamento cerebral. Os meios mais frequentemente utilizados são bebidas alcoólicas, drogas e medicamentos. Essas situações serão abordadas nos próximos textos.

Você pode fazer um trânsito melhor. Use estas dicas e torne a sua vida e a dos demais usuários do trânsito mais segura.
Google +