Como salvar o para-brisa do carro



Pedriscos lançados pelos pneus de outros carros ou que se desprendem de caminhões, principalmente em estradas, podem se transformar em vilões e causar trincas no para-brisa do seu veículo. A boa notícia é que, em vez de trocar a peça, na maioria dos casos dá para recuperá-la.

O primeiro passo é consultar um especialista e fazer uma avaliação. “A trinca não pode ser maior que uma nota de R$ 2”, diz o diretor executivo da Carglass, Milton Bissoli. “Caso contrário, o custo deixa de ser vantajoso”, explica ele.

Outro fator importante é a posição da fissura. Se estiver a menos de 5 cm da borda do para-brisa ou dentro do campo de visão do motorista (a partir do centro do volante, são 15 cm para cada lado), a recuperação não é aconselhável.

Bissoli recomenda que o reparo seja feito o mais rapidamente possível, sob pena de o dano se agravar. “Com o tempo, começa a entrar sujeira na trinca e, como esses resíduos são difíceis de remover, o resultado acaba ficando feio.”

A trinca também pode aumentar quando o carro passa por buracos e valetas, ou devido a choques térmicos. “O para-brisa é composto por uma lâmina externa e outra interna, separadas por uma película de resina”, explica Bissoli. “Em dias quentes, por exemplo, se o motorista ligar o ar-condicionado, a lâmina externa se dilata com o calor, enquanto a interna se contrai. Isso pode aumentar a fissura.”

Além disso, rodar com vidros riscados é infração grave, com pena de multa, 5 pontos na CNH e retenção do carro.

Custos. Para fazer o reparo, primeiramente é feita uma limpeza minuciosa no local. Depois, uma resina é introduzida na fissura e, por meio da exposição a raios ultravioleta, esse material seca. Feito isso são removidos eventuais excessos e o vidro é polido.

O serviço leva cerca de 20 minutos para ser concluído e, na Carglass (0800 704-44-16), custa em média R$ 110.

Se for preciso trocar a peça, o custo será bem maior. O para-brisa do Onix sai a R$ 1.300 na autorizada Chevrolet Vigorito, e, para um Corolla, a R$ 1.743 na Toyota Sorana.

Há seguros com opção de cobertura adicional contra danos no para-brisa. Na Sulamérica, acrescenta em média 5% ao valor da apólice. Na BB Mapfre, a cobertura parte de R$ 33,90 para um Onix e R$ 83 para um Corolla ou um Honda HR-V.

O reparo está coberto pelo seguro, mas, se for preciso substituir a peça, o segurado terá de arcar com o valor da franquia.
Google +