Projetado no Brasil, Volkswagen Voyage completa 35 anos de história



Sedã compacto da Volkswagen derivado do Gol, projetado e desenvolvido no Brasil, o Voyage está completando 35 anos de existência. Lançado em julho de 1981, o modelo já soma mais de um milhão de unidades comercializadas desde então. Nessas três décadas e meia, a montadora exportou mais de 410 mil unidades do sedã para 61 países. Considerando os seis primeiros meses deste ano, são mais de 14 mil veículos emplacados no Brasil.

Inicialmente, o Voyage vinha apenas com carroceria de duas portas, nas versões de acabamento S e LS. Havia a opção de motor a álcool ou gasolina, com 1,5 litro de cilindrada e arrefecimento a água - diferentemente do Gol, que chegou em 1980 ainda com propulsor refrigerado a ar, emprestado de modelos como Fusca, Kombi e Brasília.

O Voyage recentemente chegou à linha 2017 com discreta reestilização externa e mudanças mais profundas na cabine, que ganhou melhor acabamento e opções de central multimídia - além disso, trocou, nas versões de entrada, o motor 1.0 8v flex de quatro cilindros e 76 cv pelo 1.0 12v de três cilindros, também bicombustível, que é mais moderno e entrega 82 cv de potência. Além desse propulsor, o sedã mantém a opção de motor 1.6 8v flex de 104 cv. O câmbio pode ser manual ou automatizado, sempre de cinco marchas. Atualmente, a carroceria vem exclusivamente com quatro portas.O começo da produção do sedã foi na fábrica da Volks em São Bernardo do Campo, em São Paulo, e desde 2008 o Voyage é montado exclusivamente na planta de Taubaté, também no estado paulista, ao lado do Gol. A produção do modelo foi interrompida entre 1996 e 2008, período em que a única opção de sedã compacto da VW foi o Polo Sedan.

Os preços sugeridos começam em R$ 42.490, valor referente à versão Trendline 1.0, que traz de série direção hidráulica, travas e vidros dianteiros elétricos e banco do motorista com ajuste de altura.
Google +