GM lança programa de carros compartilhados no Brasil


Entrando na onda dos carros compartilhados, a GM do Brasil decidiu implantar o programa Marven no Complexo Industrial de São Caetano do Sul, na região metropolitana de São Paulo. Os veículos ficam disponíveis para os funcionários, que podem usá-los para tarefas do dia a dia ou até viagens com a família. Na hora da devolução, o motorista paga uma taxa referente ao número de horas que passou com o carro.

A reserva é feita por meio de um aplicativo. Os usuários também conseguem usar o software para travar e destravar as portas do automóvel. O valor cobrado é de R$ 35 por hora ou R$ 210 para uma reserva de 24 horas. Os preços, que serão pagos na folha de pagamento dos funcionários, já incluem combustível e seguro. Por enquanto, a retirada e a devolução serão feitas em pontos localizados dentro da fábrica.

O programa faz parte de um movimento da empresa focado em desenvolvimento de opções de mobilidade urbana e sustentáveis ao redor do mundo. “Ao lançar o Maven no Brasil, a GM assume a liderança em soluções de mobilidade urbana e proporciona mudanças na vida dos empregados. O acesso rápido e fácil a um carro é um divisor de águas que altera fundamentalmente a abordagem ao transporte, com novas oportunidades que antes não eram possíveis”, diz Marcos Munhoz, vice-presidente da montadora no País.

Inicialmente, o único modelo disponível na frota do programa é o Chevrolet Cruze LTZ equipado com sistema OnStar. Vale salientar que o Maven não é o primeiro projetp de mobilidade lançado pela GM. A companhia já investiu, na Alemanha, em plataformas de carona (Flinc) e compartilhamento de carros Opel “CarUnity”. Nos Estados Unidos, disponibilizou o “Let’s Drive NYC” e o “Lyft”, e se aventurou até no compartilhamento de bicicletas com a iniciativa “Zagster”.
Google +