Cuidados com pneus: economia pode acabar em prejuízo


No período de férias, o número de acidentes de trânsito aumenta, pois aumenta também o fluxo de veículos nas estradas. Essa é a época ideal para uma revisão nas condições gerais do veículo, pois pegar a estrada com um carro sem manutenção é sinônimo de perigo.

Até a calibragem de pneus, feita de maneira correta, pode representar tranquilidade e economia na estrada.

O pneu é um item essencial para a segurança do veículo, pois os freios param as rodas, mas são os pneus que param o veículo. De acordo com especialistas, o motorista deve revisar a situação dos pneus no máximo a cada 10 mil quilômetros, conferindo sempre balanceamento, geometria e situação da suspensão. Ou ainda sempre que trocá-los ou notar vibrações no veículo ou oscilações no volante.

Conforme a legislação vigente, os pneus dos carros não podem ter profundidade inferior a 1,6 milímetros nos sulcos, mas especialistas dizem que o motorista não deve esperar chegar a essa marca. Os componentes devem ser trocados bem antes disso para garantir a segurança do veículo. “Pneus carecas favorecem muito o risco de aquaplanagem, a segurança em curvas e frenagens fica seriamente comprometida e o pneu pode estourar a qualquer momento. Utilizar um pneu nessas condições é uma economia que não compensa”, explica Eliane Pietsak, pedagoga, especialista em trânsito.

Outra questão séria é que com a intenção de economizar, muitos motoristas escolhem trocar os pneus carecas por outros menos desgastados. Esta atitude pode trazer prejuízos ainda maiores e, ainda, colocar em risco quem está no veículo. “Reaproveitar pneus é adquirir um produto de origem desconhecida e que pode já ter passado por várias manutenções, armazenamentos e situações impróprias. É um barato que pode sair caro”, explica Pietsak.
Calibragem

A correta calibragem de pneus pode garantir mais segurança, representar economia de combustível e ainda da vida útil do próprio pneu. “O motorista tem que colocar a pressão ideal para o veículo com ou sem carga e ainda ter atenção para a medida correta para pneus dianteiros e traseiros, o que pode variar conforme o modelo do veículo. Pressões incorretas, principalmente abaixo do normal, causam desgaste prematuro e desestabilizam o veículo”, afirma a especialista.

Para o pneu ficar com a pressão correta ele deve ser calibrado quando estiver frio. “É recomendado também o rodízio dos pneus dianteiros com os traseiros a cada 10 mil quilômetros para evitar o desgaste desproporcional, já que os da frente costumam perder mais borracha do que os de trás”, finaliza.
Google +