Atlas aponta falta de atenção como maior causador de acidentes em rodovias

Descuido ao volante é o maior motivo de acidentes envolvendo tanto carros quanto ônibus e caminhões em rodovias federais

 
Lançado neste mês de julho, a 2º edição do Altas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro apresenta um raio-x dos acidentes de trânsito nas rodovias federais do país. O compilado é uma iniciativa do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST). Com ele, é possível saber, por exemplo, quais são os piores trechos em acidentes em todas as rodovias federais, os dias da semana e o horário em que mais acontecem acidentes por tipo de veículo, além de apontar que a falta de atenção é responsável por 1.203 mortes nas BRs.



“Acreditamos que as informação são um alerta e também uma ferramenta que auxilia todo motorista para a agir preventivamente. O altas nos mostra que o comportamento inadequado ainda é o grande responsável por mais da metade das mortes nas rodovias”, afirma Solange Fusco, diretora de Comunicação Corporativa do Grupo Volvo América Latina.

Em 2015, foram registrados 122.007 acidentes nas rodovias federais brasileiras, que deixaram 90.100 feridos e 6.859 mortos em acidentes de trânsito nas rodovias federais brasileiras. O número equivale a uma média de 18,8 mortes por dia.

Após a falta falta de atenção como principal causa de morte nas rodovias federais está o excesso de velocidade, com 946, seguido pela ultrapassagem indevida, que somou 592 mortes. No entanto, quando avaliado o índice de gravidade, a causa mais letal foi a sonolência ao volante. Apesar do número de acidentes provocados por motoristas que com sono ser menor que por falta de atenção, quando eles acontecem, são mais letais, com um índice de gravidade de 5,9. Em segundo lugar, está velocidade incompatível com índice de gravidade 4,3 e em terceiro lugar, empatados, estão dirigir sob efeito de álcool e defeito mecânico no veículo, com um índice de gravidade de 4,2.


Os estados com maior número de mortes em acidentes nas rodovias federais em 2015 foram Minas Gerais, com 961 mortos; seguido pela Bahia, com 641; Paraná, com 584; e Santa Catarina, com 461 mortos. Os trechos com o maior número de mortos foram na BR-101, na Região Motropolitana de Florianópolis (SC); e na BR-040, região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). Entre os km 206 e 216 da BR-040 aconteceram mais de 500 acidentes que deixaram 18 mortos; e entre os km 520 e 530 da BR-040, foram registrados 188 acidentes que resultaram em 18 vitimas fatais.

Outra informação revelada pelo atlas é que, o maior número de acidentes acontece entre 17h e 18h, porém, os mais fatais acontecem na madrugada, entre 3h e 5h da manhã. Sexta e sábado são os dias com maior número de acidentes; e sábado e domingo os dias em que os acidentes são mais letais.

O Altas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro é uma das ações do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST) dentro da visão Zero Acidentes, que tem como ideal de futuro zerar o número de acidentes com veículos Volvo. Todas as informações estão no portal www.atlasacidentesnotransporte.com.br.



“O objetivo é fornecer informações que sirvam como ferramenta ao gerenciamento de riscos das viagens, contribuindo para que empresas de transporte realizem ações que contribuam com a redução do número de acidentes envolvendo caminhões e ônibus”, destaca Anaelse Oliveira, responsável pelo Programa Volvo de Segurança no Trânsito.

O estudo foi produzido pela Tecnométrica, com base no banco de dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) entre 2007 e 2015. “Este estudo mostra o potencial do banco de dados da Polícia Rodoviária Federal para gerar informações interessantes e úteis. A análise dos dados permitem um melhor entendimento dos problemas relacionados aos acidentes de trânsito e também a melhorar o direcionamento dos recursos para redução dos impactos com acidentes”, afirma Rômulo Araújo, do Núcleo de Estatística da PRF.

Segundo o Prof. Sebastião de Amorim, do Departamento de Estatística da Unicamp e Diretor Técnico da TecnoMetrica, empresa responsável pelo tratamento dos dados da PRF, acidentes de trânsito são eventos multidimensionais complexos, mas que oferecem matéria prima abundante. “Extraímos informações relevantes por meio do manejo estatístico apropriado. Na análise destas bases de dados, uma quantidade volumosa de informações muito importantes pode ser extraída. Acreditamos que elas possam ser úteis a pesquisadores, legisladores, órgãos da imprensa, operadores de transporte e motoristas, no sentido de condução a práticas e ações que, reduzam a frequência de ocorrência e o índice médio de gravidade dos acidentes em nossas rodovias”.
Google +